Momento Repetivel

Sorri, por favor, sorri mais uma vez, preciso de reter de forma detalhada todo esse fenómeno que transforma a tua face, todos os contornos, esse fechar de olhos rápido esse lábios que fogem para os lados como se não tivessem um fim e que culmina nas covinhas junto das tuas bochechas que, por vezes, nessa tua face magra, julgo desaparecidas!

Como eu odeio despedidas, nunca me havia sentido assim, tão necessitada da presença de alguém e quase ralho comigo mesma por desperdiçar momentos contigo questionando-me sobre o que será de nós quando não estivermos junto um do outro! Sempre pedi a perfeição, embora a julgasse impossível, não a procurei, esperei e depois de tanto tempo, de tantas quedas e ilusões, esbarrou-se comigo, e tomou conta do meu pensamento, das minhas sensações! E divago sobre tudo nisto nos segundos em que sorris, o meu raciocínio é rápido demais, quase tão rápido como o batimento do meu coração quando perto de ti! E adoro quando encostas a cabeça junto do meu peito e me dizes que o meu coração não é normal e que bate em demasia, eu sorrio e sem me aperceber tenho os teus lábios juntos dos meus, da forma mais bruta e suave que me causa arrepios na espinha e que me faz sentir num outro mundo, num mundo em que as nossas respirações se conjugam e que o coração salta tanto que parece querer sair para fora!

Eu não quero sair de junto de ti, não quero sentir saudade da força única e reconfortante que encontro nos teus braços , dos momentos em que o mundo parece ter parado, mas que passam depressa demais para o tempo em que estamos! Tu mostras-me algo que eu não consigo descrever, e eu sinto que todos os dias te amo mais e que cheguei ao limite do sentimento, mas tu , tens um poder único de o fazer crescer e tomas por completo o que sou!

Não vás agora, não me deixes, por mim vivíamos hoje mesmo juntos, porque eu sei que não te quero longe, não te quero distante, não te quero em outro lugar, em que eu não esteja, quero partilhar tudo contigo, quero ser tua e tu meu, como me prometido!

Estou a ver-te sair, estás mesmo a virar-me costas e como eu detesto saber que terei de entrar em contagem de novo para te poder sentir, sou tão precipitada!

Tu estás a virar-te, não me tortures, vai logo embora, estas a deixar-me sem jeito, sinto-me completamente embevecida, sou tão dependente de ti! Não corras, não o faças, não, pára.

Estas a tomar-me nos teus braços, estás a fazer-me rodopiar, estás prestes a deixar-me sem respirar de tanto me apertares, estás prestes a fazer o meu coração vencer uma maratona de ao ritmo a que se encontra, estou a rir-me como se de um bebé me tratasse!

Manténs-me no alto e perguntas: “Amas-me?” ao que eu, sem sequer parar para pensar respondo com um sorriso alucinado “Amo-te muito, vai embora!” e tu me pousas no chão e sussurras “ Não te consigo soltar!”

Eu corro para dentro de casa e pelo canto da janela vejo-te de braços abertos quase a fazer birra como um miúdo de seis anos ate decidires ir mesmo embora!

E depois de tudo isto, sento-me no chão e sorrio da nossa cena vexatória, somos uns perfeitos patetas apaixonados! Nunca me deixes, meu pateta de estimação!

4 passageiros:

Silvia disse...

Amei minha pipoca! *.*

CristianaC disse...

Fantástico *

JoaninhaFerreira disse...

que texto delicioso!
beijinho *

disse...

prima quase chorei ao ler isto! Revejo todos os meus domingos neste texto! É tão dificil lidar com despedidas, mesmo sabendo que a distancia nao durara mais do que miseras semanas. Quando estamos apaixonados sentimos tanta dependencia, tanta vontade de aprpveitar tudo com aquela pessoa especial! GOD! *.*

<3